Desde a sua invenção, os plásticos são um avanço para a sociedade. Mas além das suas funções e vantagens inquestionáveis, estamos aqui para iniciar uma nova fase da relação dos plásticos com a sociedade. Uma relação mais racional no consumo e mais responsável no descarte; para o nosso bem e o bem do planeta.

Para tudo isso, partimos de três ideias:

Inspiração 

Os plásticos são uma ferramenta importantíssima para o desenvolvimento sustentável.

Crença

A cooperação é o melhor caminho para solucionar as questões ambientais dos plásticos. Chamamos isso de Responsabilidade Compartilhada.

Propósito

Articular e ativar uma rede de cooperação que integre produção, consumo e pós-consumo nas cadeias em que os plásticos estão inseridos.

 

Somos Plastivida

Somos diálogo e inovação, conhecimento e ação. Acreditamos que as pessoas são a base e a essência das nossas ações. Por isso, nossa proposta é articular e ativar uma rede de cooperação que integra produção, consumo e pós-consumo nas cadeias em que os plásticos estão inseridos, entre indústria e sociedade.

Compartilhamos responsabilidades pelo consumo consciente e pela gestão do pós-consumo dos plásticos e, assim, formamos uma instituição que pensa e age para que o ciclo desses materiais seja completo e sustentável. Com uma postura proativa, abrimos um diálogo que envolve a sociedade a fim de transformar a relação dela com os plásticos.

E para seguir esse caminho que já possui mais de 20 anos de história, convidamos você para conhecer e fazer parte desse movimento. Vamos unir os esforços para contribuir com a preservação do planeta e das gerações futuras. Afinal, juntos somos mais sustentáveis.

Os plásticos e os três pilares do desenvolvimento sustentável

Os plásticos são decisivos para o desenvolvimento social, econômico e na preservação ambiental.

Uma das funções mais importantes dos plásticos é a de proteger. As embalagens plásticas protegem e aumentam a vida útil dos alimentos, do campo à mesa, promovendo economia, redução de impactos ambientais e ampliando a qualidade de vida da sociedade.

Na medicina, os plásticos têm a nobre função de participar de soluções para salvar vidas, manter a higiene e dar conforto a quem deles se utiliza. Também estão presentes na distribuição e armazenamento da água e no saneamento básico, promovendo saúde.

Desempenham significativo papel na democratização da tecnologia e da informação. Nunca foi tão fácil ter acesso à informação e ao conhecimento e os plásticos podem ser considerados grandes aliados nesse avanço.

Os plásticos também protegem o meio ambiente. Impedem contaminações do solo e lençóis freáticos, evitam erosões, canalizam esgotos, preservam a água – vital para as nossas vidas – e participam na geração da energia que consumimos.

Nos últimos 20 anos, o peso médio das embalagens e de centenas de produtos caiu pela metade por terem, em sua composição, plásticos que viabilizam a redução das emissões de dióxido de carbono (destruídos da camada de ozônio e gerador do efeito estufa), uma vez que o transporte de produtos em embalagens plásticas, por serem estas mais leves, exige menos combustíveis, reduzindo, portanto, as emissões de gases poluentes. 

Estão presentes nas construções promovendo redução do consumo de energia em aplicações como janelas, forros, isolamentos térmicos, esquadrias, entre outras. 

Além da geração de emprego e renda na produção e na reciclagem dos plásticos, a presença desses produtos em diversas áreas da economia promove inovação, tecnologia e uma ótima relação custo-benefício que outros produtos não conseguem oferecer.